quarta-feira, 12 de abril de 2017

Quer mudar o mundo?



Quer mudar o mundo?

Você quer mudar o mundo? Quem não gostaria! Sabe o primeiro passo? Que tal começar por si mesmo. Todos tem opiniões de como proceder. Mas raramente nos damos conta que as nossas próprias atitudes podem fazer a diferença, por exemplo:

- Falar e escrever são formas de desabafar. Legal, né! Mas ai tem uma máxima bem básica que nem sempre é respeitada – “a minha liberdade (e acredito de expressão também) vai até onde começa a do outro”. Portanto, precisamos ter o cuidado para saber se o que estou expressando não está ferindo o outro gratuitamente. Senão o mundo virá uma sala de gritos e só ouvimos ecos desesperados e nenhum diálogo que possa solucionar os conflitos. Ai também vai uma sugestão bem simples que pode ser seguida nas redes sociais: repasse informações que venham a acrescentar algo construtivo e não ofender. Isso só ajuda a aumentar uma onda de revolta. Que tal surfar numa onda mais leve? Até o seu coração físico vai agradecer ao não entupir suas veias com o calor de um sangue contaminado de revolta.

- Questionar atos éticos de políticos e autoridades é válido. Mas quem sabe vamos plantar sementinhas de ações e exemplos nós mesmos sendo éticos nos mínimos detalhes: não estacionar por um instante em vaga que não é sua, respeitar os sinais de trânsito, etc.

- Não gosta e acha insalubre a poluição do ar, da água e na terra. Simples: comece colocando o lixo nos seus devidos lugares e não atirar pela janela do carro, separe o lixo na sua casa e local de trabalho. Quando estiver em cargos de decisão tenha atitudes em prol de ações ecológicos e saudáveis.

- Quando for pedir para alguém fazer algo que acha correto ou corrigi-lo. Verifique se você também faz. Seja um exemplo, de forma direta e indireta estará influenciando aos demais.

- Quem sabe ao invés de ficar esperando que a solução caia do céu. Convide os amigos, comunidade ou familiares e juntos como uma grande equipe possam resolver a situação. A união faz a força. E dessa união muito pode se fazer. Os saberes se complementam. Havendo respeito em primeiro lugar nas relações tudo é possível.


Em casa mesmo. Trate a todos com respeito. Observe suas próprias ações. É muito fácil falar, mas auto observar-se não. Comece devagar as mudanças e os efeitos serão enormes. Quer dicas de como começar: diga com licença, por favor, gratidão com um sorriso no rosto. O efeito dessas palavras e ações fazem um bem enorme para os relacionamentos, para o corpo físico e para nossa alma. Vamos experimentar?

Andrea dos Santos Leandro
Consultora em Harmonização de Espaços

quarta-feira, 5 de abril de 2017

Palestra: Os benefícios do Reiki para os Cardíacos


Faço parte da equipe voluntária de Reikianos que está realizando um lindo trabalho com muito amor no projeto Cardiocomunidade. E estou muito feliz em convidar a todos para a primeira palestra deste ciclo. Começaremos falando dos benefícios do Reiki para os cardíacos. 
Andrea dos Santos Leandro
Coordenadora da Equipe de Reiki do Cardiocomunidade


I Ciclo de palestras do Cardiocomunidade
Integrativa Fase 4


1ª Palestra:
Os benefícios do Reiki para os Cardíacos

Palestrante: Mestre Reiki e Terapeuta Esp. Gabriela Yasoha
Data: 11 Abr 2017 (terça-feira)
Horário: das 19h às 20h
Local: Rua Floriano Peixoto, 1184 (auditório da antiga reitoria)– Centro – Santa Maria/RS
Entrada: gratuita (não precisa inscrição prévia)


Mais informaçõeswww.facebook.com/cardiocomunidade

Nas últimas quatro décadas, tem se reconhecido a reabilitação cardiovascular (RCV) como um instrumento importante no cuidado dos pacientes com doença cardiovascular. O papel dos serviços de RCV na prevenção secundária de eventos cardiovasculares é reconhecido e aceito por todas as organizações de saúde, no entanto ainda é baixo número de pacientes indicados para os programas de RCV, por parte dos médicos, tanto na América Latina quanto no restante do mundo assim como a falta de apoio por entidades que possam custear de seu desenvolvimento (SBS, 2014). Sendo assim este projeto de extensão terapêutica buscará ressignificar a saúde em populações especiais através da RCV na comunidade, de forma multidisciplinar e interprofissional, na fase IV para poder realizar uma integração do ambulatório de cardiologia do HUSM com o setor de reabilitação cardíaca deste hospital, reafirmando o carácter comunitário e o compromisso de inclusão social a ex-participantes da fase III do REVICARDIO ou populações especiais que estejam sedentários a mais de um ano. Para as atividades o CARDIOCOMUNIDADE INTEGRATIVO realizará três grupos: O grupo com FNP, o grupo Pilates e o grupo de Habilidades integrativas; as caminhadas integrativas serão para todos os grupos, dança e terapias energéticas (Reiki) de modo opcional. Desta forma este projeto poderá gerar condições que para acadêmicos e profissionais possam integrar conhecimentos e exercitar os métodos e técnicas apreendidos nos bancos universitários e possibilitar-lhes um banco de dados rico para realização de pesquisas criando um vínculo com a comunidade através, da inclusão social de populações especiais na RCV.


Cuidar da saúde dos olhos é qualidade de vida


Fonte da imagem: http://www.naturalhealingmagazine.com/effective-exercises-for-strengthening-the-eye-muscles-and-improving-the-sight/


Cuidar da saúde dos olhos é qualidade de vida

Estou fazendo um curso muito interessante que ao exercitar os olhos e o corpo para a saúde do olhar melhora não só a visão física. Vai além, o modo de olhar o mundo e a saúde em geral são aprimorados.

No dia a dia temos hábitos que são moldados ao longo da vida. Muitos ensinados desde a infância. Outros por observação ou até por vontade própria. Por vezes, por efeito colateral da má postura, falta de tempo para exercícios ou maneiras errôneas de agir – alimentar-se mal, vida sedentária etc. A saúde dos olhos e do corpo ficam prejudicados.

Ao fazer uma série de exercícios para melhorar a visão percebi e é dito no treinamento que a saúde do corpo também é beneficiada. E se formos fazer um paralelo o modo de ver o mundo também. Por exemplo:

- Ao fazer o exercício de chegar numa janela e olhar longe e procurar ver um detalhe num prédio. Depois olhar perto e olhar o detalhe em algo próximo. Mostra o quanto deixamos de notar tanta beleza e detalhes ao nosso redor. Situações que deixamos passar despercebidas, pois a nossa visão periférica física está prejudica assim como a da vida também. Vemos só o que está na nossa frente. E muitas vezes nem isso.

- Tomar banho no escuro ou fazer alguma atividade na penumbra. Além do medo do desconhecido por não enxergar deixamos nossa intuição de lado. Ao fazer algo no escuro começa a perceber algo mais. Sejam sons, cheiros ou detalhes que ao tentar enxergar na penumbra nunca tenha reparado antes.

- Fazer massagens ao redor dos olhos além de relaxante é gostoso. Tencionamos o olhar no dia a dia. Forçando a visão ao extremo lendo e olhando celulares, tabletes e outros eletroeletrônicos. Assim como exercícios de piscar os olhos com mais freqüência, lubrifica os olhos.

- Exercitar os olhos olhando em várias direções. Para cima, para baixo, para as laterais, girando, etc. Faz ver que existe algo mais do que normalmente percebemos.

- O exercício de relaxar o pescoço então faz toda a diferença. Num paralelo com a vida é a flexibilidade no olhar a vida. De forma tranquila. Oxigena a cabeça, o cérebro e o jeito de viver.

Caso estejam curiosos o curso que estou falando é o "Ver e Viver: Self-Healing -Treinamento Melhor Visão." Com uma professora super atenciosa a Alja Lamas. Uso óculos desde criança. Então falo de camarote. É importante sim consultar o médico que é especialista no assunto, ele estudou aprofundadamente o assunto. Assim como é importante a gente fazer a nossa parte. Cuidar da nossa visão física é também aprimorar o nosso jeito de ver a vida. Vale muito ter esse cuidado!

Andrea dos Santos Leandro
Consultora em Harmonização de Espaços

 Links para saber sobre o Ver e Viver: Self-Healing -Treinamento Melhor Visão: